10 comportamentos típicos de pessoas altamente miseráveis

Cursos Online na área de Ciências Humanas e Sociais

Paul Watzlawick, psicólogo austríaco, acreditava que os seres humanos têm um talento inato para a tragédia. Ele mostra em seu livro “A Arte da vida amarga”, que descreve a ideia de que transformar a vida em uma experiência miserável para nós e para aqueles que nos rodeiam, é uma difícil tarefa de tempo integral.

A arte de arruinar a vida está disponível para todos

Atualmente, existe um imperativo que podem ser encontrados em todos os lugares: desfrutar. O desejo de felicidade atingiu o limite. No entanto, ainda existem pessoas que colocam todos os esforços para ser miserável e amargo na vida. Na verdade, se prestarmos atenção veremos que eles dedicam uma quantidade enorme de energia para se tornar eles próprios os executores.

A imaginação é a ferramenta mais poderosa para converter sua vida em uma ferramenta de calvário. No entanto, devemos prestar atenção a esses comportamentos, porque ninguém está isento de cair em suas redes ou de começar ter uma vida amargurada sem perceber.

1. Ter medo, de tudo possível e impossível

O medo é uma emoção normal que tem um papel adaptativo, porque nos mantém longe do perigo. No entanto, quando elevamos esse medo a outro nível, paramos de viver. Vivem com medo constante não é viver, é morrer lentamente. As pessoas miseráveis ​​se certificam que tudo se torna uma ameaça, então eles acabam vivendo em uma zona de conforto cada vez menor.

2. Ficar entediado, até enjoar e além

Se você quiser que o tempo passe mais lentamente e todos os dias valham a pena, faça algo novo todos os dias. Se você deseja que as páginas do calendário voem, afunde-se na rotina. A melhor estratégia para tornar a vida miserável é fazer sempre a mesma coisa, seguir a mesma rotina, ano após ano. Assim, essas pessoas têm toda a razão para reclamar, não percebendo que a parede ao seu redor foi ela mesmo quem construiu.

3. Banir o novo para a terra do nunca

Não há nada que nos faz sentir mais vivo do que a descoberta. Quando descobrimos algo novo nosso cérebro é ativado e ficamos felizes, satisfeitos, eufóricos. Pelo contrário, as pessoas miseráveis ​​se cercam de uma aura de “conheço tudo”: nada os espanta, e o que espanta os outros é classificado como plágio de algo que já existe. Assim, na vida tudo se torna previsível, a sua existência está repleta de tédio porque você fechou a porta para que algo maravilhoso aconteça, por menor que seja.

4. Discutir por coisas bobas, duvidar pelo “prazer” de discutir

Para as pessoas altamente miseráveis, estar certo é mais importante do diálogo para encontrar um consenso. É um problema difícil de lidar principalmente em relacionamentos, porque essas pessoas são responsáveis ​​por olhar para detalhes para arruinar o dia e, aliás, para estragar tudo com seu parceiro. O problema é que essas pessoas não discutem sobre coisas importantes não defendem certos valores, mas ficam em torno do arbusto, ataque e é impossível manter uma conversa civilizada.

5. Eliminar a palavra “gratidão” do vocabulário, e se possível do dicionário

Essas pessoas desenvolvem uma visão muito negativa do mundo, assim não encontram nenhuma razão para sentir gratidão. Eles não são capazes de encontrar o lado positivo em qualquer situação, não percebem todas a “bênças” que eles têm, porque eles só se concentram nas falhas, defeitos e fraquezas. Eles muitas vezes pensam que apenas “tolos” podem sentir gratidão e que o mundo é um vale de lágrimas onde nada de bom acontece.

6. Queixar-se, por tudo e todos.

Uma vez que os miseráveis ​​não têm nenhuma razão para se sentir feliz ou grato, normalmente vão se queixar de tudo, tornam-se queixosos crônicos. Então a conversa como seu diálogo interno só lida com as coisas negativas que acontecem. Eles se queixam quando chove, quando faz sol, quando trabalham e quando eles perdem, quando ele ganha o direito e quando você ganha a esquerda … Desta forma, muitas vezes perdem grandes oportunidades porque eles são capazes de ver apenas o lado negativo da situações.

7. O passado determina o presente, até o infinito

O que aconteceu no passado, ainda está atrás agora. Essas pessoas conseguem manter arrastando oportunidades perdidas, desperdiçadas ou ignorados. Lembrar quem lhe deu nota ruim na escola, mesmo que já se passaram 30 anos. Eles pensam “más recordações são para sempre.” No entanto, se o passado foi melhor, então eles pensam que nunca mais serão tão feliz e vão se resignado e morrendo um pouco todos os dias.

8. Escolha a pior versão de si mesmo

Todos nós temos certas características de personalidade que não nos facilitam a vida. Algumas pessoas têm uma tendência a ansiedade, outros obsessão, paranoia ou hipocondria. É o que é conhecido como “personalidade acentuada.” A maioria das pessoas tentam compensar essas características e limitar os seus efeitos, reforçando outras características positivas. Pessoas infelizes, pelo contrário, acentuam. Eles são responsáveis ​​por ser a pior versão de si mesmos e deixar que essas características determinem sua existência. Eles podem tomar como certo que cada um dos dias restantes de sua vida vai ser ruim.

9. Agente secreto paranoico, desconfia dos planos os outros

“Nenhum homem é uma ilha completa em si mesma”, disse Eduardo Galeano. Precisamos de outros, o contato com outras pessoas nos trazem muitos benefícios, mas somente quando somos capazes de manter relacionamentos interpessoais assertivos. As pessoas miseráveis ​​se certificam de que isso não aconteça. Frequentemente suspeita das intenções dos outros e se você lhes fizer um favor ou lhe der um elogio, imediatamente pensam que há um duplo significado, que estão querendo algo ou que é uma forma velada de humilhação. Pessoas miseráveis ​​estão sempre cientes do que os outros pensam e não do que eles realmente dizem. Obviamente, desta forma acabam por ficar sozinhos. E assim eles encontram um motivo para reclamar sobre como miserável sua vida é.

10. Se tudo isso falhar, culpam o outro

Para viver infeliz, há uma maneira que nunca falha: culpar os outros. O problema é que, assumir a responsabilidade, significa ter também a capacidade de ser feliz e de mudança. As pessoas miseráveis ​​apontam o dedo acusador para outros. Todos seus problemas são sempre culpa dos outros: dos pais que não lhe deram a educação adequada, de terem tido a criança muito cedo, de um chefe autoritário, do parceiro imprudente. Qualquer bode expiatório é bom. No entanto, não há nada melhor para ser miserável que o ódio gratuito.

 

Por Jennifer Delgado Suárez
Tradução e adaptação Pensamento Líquido

Deixe um comentário

Por favor, escreva seu comentário
Digite seu nome aqui