Como fazer o seu amigo ver um psicólogo

0
2

É provável que você possua amigos e conhecidos que, estritamente falando, precisam de ajuda profissional. Eles talvez estejam no meio de uma crise, um relacionamento importante que não está funcionando, eles são, talvez, emocionalmente instáveis ou tem um comportamento desorganizado.

No entanto, não é fácil dizer a alguém: “Eu acho que você deve ver um psicoterapeuta.”

É possível que esta frase vá ofender, constranger ou afetar o seu relacionamento com eles. Seu amigo pode ouvir: “Você acha que há algo de errado comigo” e isso pode causar raiva, eles podem ficam na defensiva ou negar veementemente que há um problema.

Raramente uma abordagem direta consegue ser realizada com sucesso.

Você precisa ouvir atentamente as queixas da pessoa sobre o seu problema, a fim de encontrar uma maneira não conflituosa de oferecer ajuda. Concentre-se na normalização do problema – fazendo parecer normal, como comportamento cotidiano – e fazer uma aliança com essa pessoa. Por exemplo, se você ouvir as queixas dos seus amigos sobre seu relacionamento, talvez você poderia dizer algo como: “Eu sei o que você quer dizer, já me encontrei nessa situação antes. Você sabe, eu estava lendo algo no outro dia sobre este assunto e achei muito informativo. Gostaria que eu lhe enviasse o link? “

Assim o seu amigo vai sentir que você está do seu lado e não se sentir “mau” ou “errado” sobre o seu problema, então você pode entrar como um segundo nível de suporte, por exemplo: “Eu ouvi de um amigo que” X ” é um verdadeiro especialista na área e lida com estas coisas o tempo todo. Estou até pensando em ir vê-lo. Talvez eu poderia dar-lhe uma perspectiva diferente. ” Uma abordagem suave e sensível funciona bem para abrir caminhos alternativos para ver o problema.

Por outro lado, muitas vezes você é o apoio da pessoa e seu amigo depende muito de você. Você pode se sentir sobrecarregado e não saber o que fazer. Pode ser que o conselho que você ofereça é inútil e parecer que o relacionamento gira em torno do problema. Suas necessidades como amigo são ignoradas e você não consegue lidar com as longas e tardias horas no telefone.

Então, como você pode dizer, “Basta” de uma forma eficaz e compassiva? 

Como regra geral, considere de forma realista, se é uma responsabilidade que um adulto deve tomar. Afinal de contas, o problema é do seu amigo, não seu. Reflita sobre o que está acontecendo dentro de você e o que você pode carregar. Você é como o “cavaleiro de armadura brilhante”? Você tem a necessidade de ser necessário? Você se sente atraído pelo desejo de controlar? Considerar quais os benefícios secundários que você poderia estar recebendo através da participação em um relacionamento estressante é o primeiro passo mais importante. Ao assumir o fardo do seu amigo, você não está ajudando, você está negando-lhe a oportunidade de assumir a responsabilidade por seu próprio crescimento.

Organize a comunicação adequada o mais rapidamente possível

Portanto, é para o benefício de ambos implementar um limite firme e permitir que outra pessoa, mais objetiva, possa intervir e ajudar, seja para seu amigo ou para ambos.

Uma saída é ouvir atentamente a um pedido de ajuda, e depois sugerir um suporte adequado. Por exemplo, se seu amigo vem com um problema que está além de sua capacidade (violência doméstica, etc.), você pode dizer: “Eu não sei se eu posso ser de ajuda. Este problema está além da minha capacidade. No entanto, eu sei de alguém que sabe muito sobre isso, o que acha se eu falar com ela para chamá-lo?, Talvez ela possa sugerir algo que eu não tenha pensado.” Em seguida, organize a comunicação adequada o mais rapidamente possível. Quanto mais cedo ele se permitir procurar por ajuda certa, mais cedo você pode respirar, relaxar e se recuperar.

Deixe uma resposta