Já se sentiu mais triste e desmotivado no inverno? Não é por acaso. A depressão de inverno também chamada de depressão sazonal de inverno / Transtorno afetivo sazonal, é uma doença que muitas pessoas sentem com as mudanças de estação de verão para o outono e para o inverno. Pode parecer impressão de que o inverno nos deixa mais mal-humorados, mais preguiçosos, ou menos dispostos. Mas não é só impressão não.

A depressão sazonal foi primeiramente cunhada pelo psiquiatra Norman Rosenthal em 1982. No entanto, já se tinha notícia da doença 400 anos a.C., quando Hipócrates observou tais quadros, advogando os efeitos terapêuticos da luz solar.

Desde o reconhecimento do transtorno em 1982, muito se tem pesquisado sobre o assunto. Uma importante hipótese rumou para a busca de alguma relação entre latitude e distúrbios psiquiátricos sazonais. Conforme se aumenta a latitude (conforme nos afastamos da linha do Equador), os invernos são mais rigorosos, as noites invernais mais longas, e as temperaturas mais baixas. Foi daí que surgiu tal teoria.

Não obstante, grande parte dos estudos mostrou que, ou não havia relação nenhuma com a latitude, ou que esta relação era apenas discreta. O que se viu na verdade é que o que piorava os distúrbios sazonais era o clima, e não a latitude em si. Ou seja, no fundo o que influencia nosso humor é a luz solar.

Assim, não adiantava comparar um lugar onde as noites de inverno eram longas com outra localidade que vivia nublada, por exemplo. Em outras palavras, podemos dizer que a quantidade de luz solar que recebemos por dia está bastante relacionada com nosso estado de espírito.

Nosso relógio biológico funciona de acordo com dois hormônios: a melatonina e o cortisol. O cortisol apresenta um pico na hora de acordar e vai decrescendo ao longo do dia, e o inverso ocorre com a melatonina. E ambos os hormônios estão também envolvidos na fisiopatologia da depressão.

Além disso, descobriu-se nas últimas décadas que a luminosidade (e não o frio em si) influencia na secreção destes hormônios. A luz solar, por exemplo, inibe consideravelmente a secreção de cortisol e apresenta efeitos benéficos para o humor.

Além disso, atualmente há evidências robustas de que a transmissão de serotonina diminui durante o inverno. Também provavelmente por conta de menor exposição à luz solar.

Assim, viu-se que não só a “depressão sazonal” aparece no inverno, mas que outros transtornos pioram nesta época, como o alcoolismo, a ansiedade, a bulimia nervosa e o transtorno obsessivo-compulsivo, por exemplo. E pessoas normais, sem diagnóstico nenhum, também tendem a pontuar menos em escalas de humor e bem-estar durante o inverno.

A Depressão Sazonal é muito mais rara no Brasil do que nos países do Hemisfério Norte, mas existe. As temperaturas costumam cair bastante, principalmente no sul e sudeste. Além disso, existem pacientes depressivos que sentem piora de seus sintomas depressivos em dias sem Sol. Muitas pessoas apresentam, em grau maior ou menor, alterações do sono, apetite, energia e humor ligadas às estações do ano ou à luminosidade do dia.

 

Incidência da Depressão de Inverno:

  • Mais frequente em mulheres que homens.
  • Maior incidência entre os 20 e 40 anos, mas pode ocorrer em todas as idades, inclusive em crianças.
  • Parece existir predisposição genética. Pessoas com familiares que sofram de Depressão ou Distimia tem maior probabilidade de sofrer de Depressão Sazonal.
  • A incidência aumenta quanto mais longe do Equador.

 

Sinais e Sintomas da Depressão de Inverno

Como acontece como todas as formas de depressão, os principais sintomas da depressão de inverno incluem humor em baixa e uma perda de prazer ou interesse em atividades diárias normais.

Sintomas Típicos da Depressão de Inverno:

  • Dormir mais horas por dia no inverno, mas mesmo assim continuar cansado e ter dificuldade para acordar de manhã.
  • Aumento de apetite, vontade de comer carboidratos, Chocolate.
  • Mudanças na energia e motivação: dificuldade de concentração, execução de tarefas rotineiras, fadiga, isolamento social e diminuição do impulso sexual.
  • Mudanças no humor: irritabilidade, apatia, baixa auto estima, sensação de depressão.

Sintomas Atípicos da Depressão de Inverno:

  • Despertar cedo demais pela manhã, ou insônia e intranquilidade.
  • Diminuição de apetite e perda de peso.

 

Tratamento para a depressão de inverno

O melhor tratamento que pode fazer é… apanhar luz solar natural!

Se estiver dentro de casa ou trabalhando em ambiente fechado, procure encontrar um tempo para apanhar sol, especialmente ao meio-dia e em dias claros. Por exemplo, se possível, faça um passeio todos os dias por 1 a 2 horas durante o dia, pois isso pode muito bem melhorar os sintomas.

Se você trabalha em ambientes fechados com iluminação artificial, tente sair na hora do almoço, mesmo se estiver chovendo. Faça uma caminhada ou almoce num banco do parque, ou outro local.

O ideal devia ser tentar trabalhar perto de janelas grandes e sem cortinas, se possível, de modo a que você fique exposto a tanta luz quanto possível nos meses de inverno escuros.

 

SHARE

Coordenador de TI e Psicólogo. Resolveu estudar psicologia porque queria entender melhor a mente das pessoas, e embora tenha se decepcionado um pouco com algumas coisas que apreendeu ainda acredita no poder de amar e evoluir do ser humano. Idealizador do Pensamento Líquido. Apaixonado por filmes de terror, seriados, anime e mangás e livros de aventura. Não dispensa uma boa comida e bebida na companhia de amigos, especialmente se for pra curtir um bom e velho rock n roll. Para saber mais sobre mim… compre um vinho, pegue um ônibus e venha até a minha casa filosofar sobre a vida.

Deixe um comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here