tecnologia-e-educacao-para-o-seculo-xxi

É relevante falar sobre educação nesta época em que sentimos ser o que mais precisamos e muitas vezes o que menos temos com qualidade. É conhecido que a educação em sua forma ampla torna-se cada vez mais importante como base e força propulsora para o desenvolvimento de qualquer sociedade ou nação. Para efeitos desse texto consideraremos a educação mais voltada aos fatores escola e ensino.

A necessidade de compreensão da função da escola atual nos leva à busca do entendimento acerca da influência que o sistema educativo tem na formação e conduta das novas gerações. Esse entendimento torna-se importante quando em diversos momentos notamos a escola ainda parada no tempo, impondo pensamentos e relações desconexos com a evolução do mundo e da sociedade em seus diversos aspectos.

A escola contemporânea, com raras exceções, continua com o processo de transmitir informações prontas e sem muito espaço para o debate, o que não incentiva a reflexão e aplicação útil diante da realidade. Essa situação torna um tanto desmotivador para uma parcela de crianças e jovens que estão a todo o vapor e desinquietas diante de tantas tecnologias disponíveis a frequência diária e obrigatória nas escolas. Abaixo algumas ponderações e desafios referentes à educação perante o mundo atual:

Informação: No passado a escola funcionava como o canal central na propagação de informações. Hoje, a informação está dispersa em uma série de veículos, tais como: Rádios, Canais de Tv, Publicidade, Internet, Youtube, Redes sociais, Blogs, entre outros. Os estudantes estão com a cabeça fervilhando de informações que são obtidas sem muito esforço e que muitas vezes precisam ser organizadas e ter um esclarecimento para melhor proveito. O papel da escola e professores poderia ser uma espécie de curadoria e filtro em alguns momentos para a aplicação desses conhecimentos diários nas aulas e na vida cotidiana em alguns aspectos.

Professores: O quadro de professores principalmente em escolas públicas muitas vezes está defasado e em diversos momentos faltam professores em determinadas disciplinas, gerando atrasos e perdas de aulas para os estudantes. Os cursos de atualização e aprimoramento geralmente não levam em consideração diversos pontos relevantes, o que dificulta grandemente a atuação dos professores em sala de aula diante de turmas com um número grande de pessoas. Outro ponto é a saúde física e emocional que muitas vezes é comprometida devido à carga de trabalho e a falta de segurança dentro das próprias salas de aula.

Conteúdo das aulas: Segundo Jean Forquin “A educação escolar não se limita a fazer uma seleção entre os saberes e os materiais culturais disponíveis num dado momento, ela deve também, para torná-los efetivamente transmissíveis, efetivamente
assimiláveis às jovens gerações, entregar-se a um imenso trabalho de
reorganização, de reestruturação, ou de transposição didática”. Os conteúdos aplicados em livros e periódicos na educação atual é um tanto limitado e por vezes ultrapassado. Necessita-se de atualização e revisão constante nos materiais, o que ocorre a cada década em alguns casos.

Tecnologias: Estamos mergulhados e interagindo constantemente com diversas tecnologias. As formas de comunicação entre pessoas evoluíram de tal modo que existem centenas de aplicativos, redes sociais e programas para todo tipo de comunicação, desde um pedido de comida “Fast Food” até jogos, compra de produtos e interação online. Nas escolas de maneira geral o uso de tecnologias ainda é restrito, o que gera desconforto e tédio nos mais jovens.

Aprendizagem contínua: Conforme Michel de CerteauO êxito de um indivíduo na sociedade do conhecimento e da economia da aprendizagem vai requerer a capacidade de continuar a aprender de diferentes maneiras durante toda a vida, bem como uma adaptação rápida e eficaz a situações em mudança. Isto sugere que os alunos deveriam deixar a escola com competências e motivação para chamar a si a responsabilidade da sua própria aprendizagem ao longo da vida. Através da investigação pedagógica, o nosso conceito de aprendizagem continua a evoluir, mas ainda falta muito para que as lições retiradas da investigação se reflitam plenamente nos métodos de ensino e na organização escolar”. A aprendizagem contínua é essencial e obrigatória no âmbito pessoal, profissional e para a elevação de nível da sociedade como um todo.

Integração do Ensino: Ainda percebemos o abismo que existe entre o ensino fundamental, médio e Superior. As disciplinas não seguem um mesmo ritmo nas escolas e isso contribui negativamente gerando vários “sistemas de ensino” dentro do mesmo País. Isso é nítido nas provas anuais de Ensino Médio, Enem, Enade e outros, quando os resultados mostram muita diferença de desempenho entre escolas ou cidades de regiões dispersas, muitas vezes dentro de um mesmo Estado da Federação. Faz-se necessário a elevação do nível de qualidade no ensino desde o infantil até o superior para gerar competividade mais sadia e igualitária na busca de vagas nas Faculdades, Universidades e Escolas Técnicas por exemplo.

Diversificação no ensino: Utilizar técnicas, tecnologias, debates, laboratórios, semanas temáticas, visitas externas, filmes, documentários, entre outros. O ensino necessita de mais flexibilidade e produtividade tanto para alunos quanto aos docentes. Criar um ambiente que permita maior criatividade, inovação e integração é essencial para gerar motivação, interesse e resultados. As escolas, creches, universidades e todos os órgãos que estão ligados de alguma forma com a área de Educacão precisam da atenção urgente do poder público para essa importante área que constitui o alicerce do presente e do futuro próximo da nação. Educação gera vida, progresso e desenvolvimento sustentável e consciente. Faz-se extremamente útil o aprendizado e não somente a captação de informações e “decoreba” que é comum nesses tipos de ambiente.

Diante do exposto, nota-se que a escola em seus diversos níveis continua não sabendo as medidas necessárias para acompanhar as transformações que estão ocorrendo no mundo veloz e instável que fazemos parte. Os desafios são enormes e necessitamos muitos mais que equipamentos e estruturas físicas. Logo, surge a necessidade de ações efetivas do Poder público e de profissionais da educação visionários e aplicados, gerando assim um ambiente propício e condizente com a realidade atual, preparando assim para os desafios futuros dentro e fora da escola.

Referências:
http://g1.globo.com/
https://revistacult.uol.com.br

Compartilhar
Douglas Henrique Reginato
Graduado em Administraçao de Empresas (Uenp) . Pós graduado em Gestão Estratégica de Pessoas (Unopar - PR). MBA em Marketing Estratégico voltado a lucratividade (Unifil Londrina). Gosto de musica clássica e leio livros e revistas dos mais variados temas. Procuro ampliar minha visão de mundo e contribuir de alguma forma com a sociedade. Sou um eterno estudante.

Deixe um comentário

Please enter your comment!
Insira seu nome aqui