Dizer que a pessoa “surtou” quando reagiu de forma intensa pode não ser correto quanto ao termo mas se refere à percepção de que reações desproporcionais são sinais de que a pessoa pode não estar bem psicologicamente. Esta explicação pode ajudar as pessoas que consideram surto psicótico quando alguém teve um comportamento agressivo repentino em resposta a um desagrado, por exemplo alguém que foi cobrada indevidamente no restaurante e agiu impulsivamente gritando ou batendo na mesa.

Uma pessoa que sofre com o surto irá dar sinais de repente. O seu comportamento será alterado, o paciente começa a ter delírios ou alucinações. É uma pessoa que do nada, fica agitada, agressiva, isolada e passa a ter um comportamento muito estranho do que costuma ter. O grande problema de estar próximo a uma pessoa que está tendo um surto psicótico é que ela é capaz de colocar a própria vida em risco e a das pessoas que estão a sua volta. Repentinamente, e sem aviso, a pessoa passa a ter perda da noção de realidade e pode apresentar:

  • Delírios ou alucinações ou seja passar a ver ou ouvir coisas que não estão acontecendo.
  • Falar de forma desorganizada, rápido demais ou fala coisas muito incoerentes.
  • Se comportar de forma incoerente ou fica catatônica (paralisada e sem qualquer reação).
  • Tumulto emocional.
  • Oscilação de humor deprimido para euforia, e vice versa, muito acentuada.
  • Desorientação temporal
  • Confusão mental.

 

Porque as pessoas tem surtos psicóticos?

O surto psicótico é mais comum em pessoas que sofrem com esquizofrenia, porém, pode ser desencadeado por outros fatores, como por exemplo, o uso de substâncias psicoativas, que podem ser encontradas em determinados remédios.

Um hematoma subdural também pode provocar um surto psicótico em um paciente, assim como quando a pessoa passa por uma situação com alto nível de estresse, como por exemplo, a perda de alguém que ela gostava muito.

Um surto psicótico, mesmo quando não dura por muito tempo, pode levar uma pessoa ao suicídio. Esses casos são mais comuns em jovens que passam pelo problema. Em caso de surtos a longo prazo, o paciente, quando sozinho, pode descuidar-se da higiene pessoal.

Ninguém está imune de ter um surto psicótico e o estresse em doses contínuas aumentam a chance de que isso aconteça. Porém, a situação é mais comum em pessoas que já sofrem com outros problemas, como é o caso de portadores de transtorno bipolar, por exemplo. Além disso, o surto psicótico é muito comum em pessoas que sofrem com transtornos de personalidade como Histriônica, Paranoide, Esquizotímica, Narcisista ou Borderline.

Consequências do surto psicótico

A pessoa pode ter consequências mesmo que o tempo do surto tenha sido pequeno pois nestas condições ele não poderá tomar decisões importantes e poderá não se alimentar ou cuidar de sua própria higiene. Há risco de suicídio neste momento principalmente em pessoas mais jovens.

Como Proceder com Pessoas em Surto?

Os especialistas orientam, que a pessoa deve se manter em uma  posição neutra, procurando não confrontar o paciente em surto, pois ele pode se tornar violento, e, esperar até que chegue ajuda do profissional especializado na área.

Outro aspecto importante, é tentar manter objetos como armas ou facas longe do paciente, pois ele pode usar esses instrumentos para agredir quem estiver próximo a ele. Vale ressaltar,  que em casos mais graves, o paciente  deve ser internado em uma clinica psiquiátrica, porém, em casos de surtos mais leves, o tratamento pode ser ambulatorial.

Caso a pessoa que esteja tendo um surto psicótico já esteja em tratamento, faça contato com o médico responsável por ela o quanto antes e ele vai dar as primeiras orientações por telefone. Não fique esperando que o surto psicótico passe sem chamar ninguém para ajudar. É uma situação delicada e somente um médico especializado saberá lidar com ela. O objetivo é agir com a pessoa da forma mais cuidadosa possível, para ganhar tempo e a ajuda chegar.

Se existe algum risco de que essa pessoa tire a própria vida ou tente matar quem está por perto, chame a ajuda da polícia. Enquanto o médico não chega, as pessoas terão a garantia de que essa pessoa não fará mal a si mesma e nem a quem está a sua volta.

Se a pessoa que sofrer um surto psicótico se deixar levar para algum lugar, leve-a para a emergência de um hospital, se for psiquiátrico, melhor ainda e chame sempre o médico que está acompanhando o paciente.

Como é o tratamento da pessoa com surto psicótico

O profissional que atender esta pessoa poderá analisar a história de vida desta pessoas e identificar a possibilidade de esquizofrenia na família, eventos estressores que possam ter causado o surto ou fragilidades emocionais próprias deste paciente. Caso o psicólogo percebe a necessidade de encaminhar a um médico ele o fará prontamente.

Passado o surto, o psicólogo poderá trabalhar com o intuito de fortalecer esta pessoa caso o fator motivador tenha sido eventos estressantes. Poderá ensinar assertividade se perceber que ele não sabe dizer “não” na hora certa. Poderá trabalhar seus pensamentos disfuncionais para tratar a ansiedade, etc.

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.

Deixe um comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here