Quando foi a última vez que visitou seus pais e avós? Se a resposta foi recentemente, significa que a convivência familiar, especialmente com os idosos da família, é levada a sério. A interação familiar é vital para o bem-estar do idoso, já que ele se insere neste sistema. Porém infelizmente, nem todos – e nem todas as culturas – agem desta forma.

De acordo com uma pesquisa da Christine Care – empresa especializada na assistência a idosos – realizada com três mil pessoas acima dos 40 anos, no Reino Unido – um em cada oito britânicos passou um ano ou mãos sem ver seus pais.

Além das raras visitas, os pesquisadores também descobriram que um em cada dez adultos fala ao telefone com a mãe ou o pai apenas uma vez a cada quatro semanas. E que 12% dos idosos só veem seus filhos, filhas e netos três vezes por ano, apesar de viverem em média, a apenas 66 quilômetros de distância.

Motivos

Segundo o levantamento, um terço das pessoas com mais de 40 anos pesquisada culpa o estilo de vida pela negligência no relacionamento com os pais idosos, enquanto 43% disseram que a falta de contato é inevitável e que eles vivem muito longe para fazer mais de uma visita anual.

O horário de expediente longo, os cuidados com as crianças, as atividades pós-escolares, bem como o cansaço acumulado foram algumas das razões mais apontadas pelos filhos para não visitar os pais idosos, no Reino Unido.

No Brasil

Segundo dados da pesquisa “idoso no Brasil – Vivências, desafio e expectativas da 3ª Idade”, realizada pelo SESC em parceria com a Fundação Perseu Abramo, metade da população adulta brasileira recebe a visita da família ao menos uma vez por semana.

A pesquisa apontou que entre os idosos 18% são visitados todos os dias, enquanto 15% dos não idosos recebem visitas diárias. A falta de regularidade de visitas ou mesmo a ausência delas são idênticas entre idosos e não idosos (17%).

A família está cada vez mais distanciada do modelos tradicional, no qual o idoso ocupada lugar de destaque. Cabe aos membros da família colaborar para que o idoso mantenha sua posição junto a ela. Esses valores são transmitidos de pai para filho. Os idosos carregam a expectativa de receber os cuidados dos filhos e netos.

Exemplo dos Pais

Quando os pais têm o hábito de telefonar para os seus pais, os filhos percebem e aprendem com essa atitude. Os cuidados vão desde telefonar, convidar para os almoços de domingo, feriados, entre outros. Os jovens, na ânsia de viver suas vidas, acabam se esquecendo dessas datas. Por isso, a importância da família em lembra-los e cobrá-los.

Atualmente os idosos usam a internet (sites de relacionamentos), e-mails e celulares, que tornaram a comunicação mais fácil entre os familiares. Os avós podem acompanhar seus netos, ver fotos e conhecer os amigos através da internet. A adaptação a esse novo estilo de vida é fundamental.

Convivência

A família deve ser o ponto de apoio do idoso em todos os momentos e circunstâncias. É necessário tanto a sociedade quanto a família lançarem um novo olhar para o idoso, pois a necessidade dele sentir-se em um “porto seguro” faz com que a família assuma grande significado para a sua vida. O seu bem-estar depende das boas relações familiares.

Por: Rosangela Brandão

Deixe um comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here