Esse fardo que você carrega não é seu.

Há quanto tempo você o traz consigo?

Talvez você esteja há muitos anos carregando um sentimento de culpa. Você acha que fez mal a outra pessoa, ou que é responsável pelo seu sofrimento. Mas estou aqui para lhe dizer que tudo não passa de uma ilusão que você está criando.

Os outros não são responsáveis pelo que acontece com você. Você é responsável pela sua própria vida, da mesma maneira que o outro é responsável pelo próprio sofrimento. O caminho é individual. Apesar de estarmos todos conectados, cada um é responsável pelas emoções e sentimentos que carrega para si.

A melhor forma de ajudar os outros é ajudar a si mesmo. É você mesmo se libertar. Você deve se libertar da culpa. Ela não te serve em absolutamente nada. E é até um pouco de pretensão, você se achar responsável pelo infortúnio de outra pessoa.

Existe um paradoxo nesse nosso mundo de dualidade: Ao mesmo tempo em que estamos todos interconectados e vivemos de maneira interdependente, cada um é responsável pelo seu próprio caminho. Assim, cada um é responsável pelo seu próprio sofrimento. Porque o sofrimento é um estado emocional.

O sofrimento não é algo real, físico. O sofrimento é uma reação emocional ao que acontece no plano físico. Você não consegue evitar o sofrimento de outra pessoa, se ela estiver envolvida com essa emoção.

Você pode fazer todo o bem do mundo. Você pode cobrir a outra pessoa de amor, de oportunidades, de bens materiais, de bondade e tudo o mais. Mas se ela estiver envolvida com seu próprio drama, o sofrimento vai continuar acontecendo. Assim, não faz sentido você carregar essa culpa.

O seu trabalho é cuidar de você mesmo. É você se libertar da sua culpa, se libertar do seu medo. Quando você muda, você influencia os outros ao seu redor. E então, eles podem mudar.

Você não consegue ajudar ninguém enquanto carregar esse fardo.

Faça a sua parte. Mantenha-se no seu caminho. Perdoe-se.

Ao se libertar da culpa, você vai ajudar todos os que quiser ajudar.

Por Gustavo Tanaka

Deixe um comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here