A palavra Nictofobia é derivada do grego ‘Nyctus’ significando noite ou escuridão e Phobos que significa profundo medo ou temor (fobia). Várias terminologias não clínicas são usadas para descrever essa fobia, a saber: Nictofobia, Escotofobia, Ligofobia, bem como Acluofobia.

É comum criança ter medo do escuro irracionalmente; seu cérebro sugere as imagens terríveis de ‘o que poderia acontecer” uma vez que as luzes são desligadas. No entanto, também não é incomum ver adultos sofrendo de Acluofobia. Tal condição pode afetar grandemente o dia do sofredor, principalmente porque o indivíduo tende a estar deprimido, ansioso ou tenso o tempo todo. Sofre muitas vezes e se recusa a sair depois de escurecer, ou a dormir sozinho. Os familiares e entes queridos também podem sofrer indiretamente devido à sua Nictofobia.

Os sintomas da Nictofobia

Crianças em idade pré-escolar podem recorrer a chupar o dedo, ou fazer xixi na cama devido ao seu medo de noite ou fobia de escuridão. Elas podem tornar-se pegajosas e se recusarem a dormir sem uma lâmpada, ou insistirem em dormir com um adulto / companheiro.

Muitas vezes, o sono e os hábitos alimentares de crianças e adultos podem mudar devido ao medo da escuridão. Eles podem experimentar sintomas físicos na forma de:

  • Dores
  • Respiração rápida e superficial
  • Palpitações cardíacas
  • Tremores
  • Dores no peito ou sensação como asfixia
  • Náuseas e outros problemas gastrointestinais
  • Choro, gritos
  • Redução do apetite ou, inversamente, excessos / compulsão alimentar

Os sintomas psicológicos do medo da escuridão incluem:

  • Pensamentos de morte, sensação de estar morrendo, muitas vezes associada a Tanatofobia (medo da morte)
  • O medo de ser atacado por “bichos papões ‘, fantasmas e monstros; Olhar debaixo da cama ou em guarda-roupas
  • Recusar-se a dormir sozinho ou recusar-se a sair de casa depois do anoitecer. Tentar ficar acordado a noite toda, ou ficar acordando várias vezes.
  • Sentir medo, sentir-se em estado de fuga com o pensamento de enfrentar a escuridão.

Nictofobia pode afetar a qualidade do sono. Isto pode conduzir ao estresse. Adultos podem começar a mostrar falta de produtividade no trabalho. Assim, depressão e outros distúrbios mentais e físicos são comuns em indivíduos com medo do escuro. Todos estes casos podem impactar negativamente a sua qualidade de vida.

Como perder o medo do escuro

Adultos que sofrem de acluofobia muitas vezes percebem que seu medo é irracional. No entanto, eles se sentem impotentes para superá-lo e temem a chegada da noite durante todo o dia.

Felizmente, há esperança, e muitas terapias podem ajudar a superar esta fobia. Terapeutas profissionais podem ajudar a chegar ao fundo de seu medo da escuridão e isso pode ser feito com psicanálise ou hipnoterapia.

Além destes, também se pode considerar técnicas de dessensibilização gradual. Estas incluem gradualmente expor-se a um objeto de medo e anotar pensamentos irracionais para racionalizá-los.

A terapia cognitivo-comportamental (TCC) é outra técnicas eficaz muito utilizada para superar escotofobia / acluofobia / nictofobia / ligofobia. Ela ajuda o indivíduo a gerenciar a sua resposta de ansiedade, quando confrontado com o estímulo, neste caso, a escuridão ou noite. Medicamentos também podem ser tomados para acalmar a ansiedade e reduzir a depressão. No entanto, estes não são soluções de longo prazo para medo da escuridão e é preciso estar ciente de seus possíveis efeitos colaterais.

Fonte: http://psicoativo.com

Deixe um comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here