Quando você nota que não fará diferença.
Quando você nota que não sentirão a sua ausência.
Quando você nota que não fazem mais questão da sua presença.

Para que continuar?

Se tudo é óbvio e tão claro.
Se tudo já foi tentado e falado.

Por que ainda tentar?

Se você não é mais bem recebido.
Se você se retirar e ser um ato desapercebido.

Não tem mais o por que continuar.

Se tudo se faz tão evidente:
Por que insistimos em tentar?

Por que desmerecemos o nosso valor?
Deixando de viver algo muito mais surpreendente.

Alguém já te disse hoje o quanto você é importante?

Porque você é.
Porque todos nós somos.

Cada um do seu jeito.
Cada um a sua maneira.

Alguém já enfatizou o seu valor?

Já questionaram os seus defeitos.
Eu sei que já.

Já ressaltaram as suas qualidades?

Mas, acima disso:
Por que você não se valoriza?
Por que você não se prioriza?

Passa por cima do que te inferioriza.
Mostra que você é muito maior do que qualquer coisa que te descrimina.

Somos maiores do que pensamos.
Somos melhores do que achamos.

Mas nos diminuímos quando insistimos em algo que sentimos.
Mas que não podemos viver.
Porque, muitas vezes, nem é pra ser.
E a gente se nega em aceitar e perceber.

Para de insistir em se diminuir.

Vire a página.
Se refaça.
Se desfaça.
E trate de seguir!

SHARE
Renata Galbine

Paulistana, 30 anos, virginiana e, sim, acredito em Signos e tenho muito do meu em mim. Desde muito nova, gosto e tenho facilidade em escrever. Escrevo sobre tudo aquilo que me inspira. A Renata, é uma mistura de letras e músicas. Amo dançar. Intensa. Sentimental. Quase que uma Bomba Relógio. Praticamente, um campo minado que é necessário tomar cuidado a cada passo que der.

Deixe um comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here