Porque Sentimos Ciúmes?

Cursos Online na área de Ciências Humanas e Sociais

O ciúmes é um sentimento de posse que nutrimos  a uma pessoa que temos determinados sentimentos, sendo assim uma espécie de medo em perder o carinho e a companhia de quem tanto amamos.

Tendo em vista que esse sentimento pode causar vários tipos de situações constrangedoras, vamos pontuar algumas explicações e possíveis formas de lidar com isso!

Ciúmes por que sentimos

O ciúme é despertado por um sentimento egoísta, o contrário do que muitos pensam, ele se manifesta na maioria das vezes no seio familiar, no nascimento de um irmão mais novo, ou com o fato de transformação da família.

O fato ocorre quando nos sentimos ameaçados em perder quem amamos para uma outra pessoa que idealizamos ser melhor do que somos, para o sujeito “causador” do ciúmes.

Além disso, esse sentimento soa como um sinal de alerta, do suposto desinteresse que sofremos perante a outra pessoa. Sentimos isso, devido a carga sentimental atribuída a uma outra pessoa, seja ela da nossa própria família, um companheiro (a), ou mesmo os amigos mais próximos.

Porque sentimos ciúmes de quem amamos?

O contrário do que muitos pensam, o ciúme não é algo bom. Claro que algumas situações nos sujeitam a ter esse tipo de sentimento. Porém, a forma com que você encara esse tipo de situações, pode ser algo bom para os seus relacionamentos.

Primeiramente, devemos pensar que o ciúme tem uma causa, e ela deve ser analisada de forma racional. Sempre converse com a pessoa envolvida, pois muitas vezes é somente uma impressão errada do que interpretamos como motivo.

Agora, se realmente há indícios reais de uma situação desconfortável, jamais haja irracionalmente criando atritos que possam expor você ou a pessoa em questão, converse e deixe tudo às claras. Afinal, uma situação causada por um excesso de ciúmes nunca é agradável.

Consequências do ciúme doentio

O ciúme patológico mais conhecido como ciúmes doentio, é considerado um transtorno psicológico grave, já que a pessoa afetada sai de si, quando o assunto se trata do seu objeto de posse. A pessoa não pode se relacionar com outras pessoas, nem ao menos ter uma vida individual sadia.

Isso pode ocorrer tanto em relações amorosas, quanto em relações de amizade e familiar ou mesmo na questão de ídolos e fãs.

A pessoa abre mão de sua vida, para ter o controle da vida do outro, e como consequência disso começa a perseguir e vigiar o outro o tempo todo. Muitos casos de ciúmes patológico, leva a pessoa a extremos, como imaginar supostas traições, tramar supostos flagrantes ou mesmo agredir, e em casos extremados até cometer homicídio.

Por isso, o ciúme patológico deve ser tratado, para que não haja consequências extremadas.

Ao perceber um excesso de cuidado com suas atitudes ou a forma de se relacionar com alguém ou até mesmo uma implicância com as roupas que você usa, fique atento a esses sinais, de desconfiança infundada, procure conversar com a pessoa, caso o diálogo não resolva, procure um psicólogo ou um psiquiatra para resolver esse desequilíbrio.

O amor é algo sublime, jamais pode ser confundido com posse ou mesmo algo nocivo. Fique atento!

Por Veronica Ortiz
Postado originalmente em: http://mundomulheres.com

Deixe um comentário

Por favor, escreva seu comentário
Digite seu nome aqui