Sintomas de alguns distúrbios mentais podem aparecer na infância

Tão importante quanto o bem-estar físico é a sanidade mental. Aliás, um está sempre relacionado ao outro. Por isso, se seu filho começar a apresentar sintomas como ansiedade, alterações súbitas de humor, tristeza profunda e quadros de obsessão e compulsão, observe a periodicidade e os motivos dos surtos. Talvez seja necessário buscar ajuda especializada.

Doenças relacionadas à sanidade mental

Depressão, ansiedade, pânico, TOC, bipolaridade e esquizofrenia estão entre os mais comuns e incapacitantes distúrbios mentais. Somados, eles atingem uma em cada três pessoas ao longo da vida. Conheça a seguir os sintomas de alguns deles e veja como ajudar seu filho, caso algum problema se manifeste.

Sintomas de 4 distúrbios mentais

1. TOC

O Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC) está entra as dez maiores causas de incapacitação das pessoas, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). A doença, de acordo a psicóloga Ana Cristina Fraia, coordenadora terapêutica da Clínica Maia, pode aparecer na infância, em torno dos 3 ou 4 anos, mas o diagnóstico não pode ser fechado.

“Se os sintomas forem apresentados, a terapia é indicada, assim como orientações aos pais e à própria criança para que não haja complicações na adolescência”, esclarece. Além disso, a especialista orienta que a frequência de rituais e a intensidade deles devem ser levados em conta.

De acordo com Ana, as áreas mais afetadas pelo transtorno são limpeza, checagem ou conferência, contagem, organização, simetria e colecionismo. Elas podem variar ao longo da evolução da doença.

“Lavar as mãos repetidamente, fechar a porta e checar se a fechou direito seguidas vezes, contar um determinado número de passos, organizar as roupas no armário de uma determinada forma e exigir que permaneça dessa maneira, entre outros são os rituais mais comuns”, enumera.

2. Bipolaridade

Outro fenômeno comum é o chamado Transtorno Afetivo Bipolar do Humor (TAB), conhecido popularmente como bipolaridade. Embora se inicie geralmente no adulto jovem, a doença pode começar também na infância e na adolescência.

Nessa faixa etária, os episódios podem apresentar oscilações muito rápidas do humor, entre depressão e mania, muitas vezes no mesmo dia. É o que informa o psiquiatra José Alberto Del Porto. Nesses casos, o diagnóstico deve ser realizado por psiquiatras em conjunto com psicopedagogos.

3. Ansiedade

Os transtornos de ansiedade também são corriqueiros na infância. A doença é caracterizada pelo medo exagerado e injustificado de fazer determinada ação. Entre os quadros mais comuns estão a Síndrome do Pânico e as fobias específicas.

Os principais sintomas envolvem dor de barriga ao acordar; mal-estar como vômitos, náuseas, diarreias e dores de cabeça; crise de choro quando se aproxima a hora de realizar determinada atividade (estímulo fóbico); suores ou tremores; recusa por meio de desculpas infundadas; voltar a fazer xixi na cama; insônia ou pesadelos; dificuldade em ficar sozinho.

4. Depressão

A depressão é mais um caso em que a saúde mental da criança pode ser comprometida. A doença pode se instaurar logo nos primeiros dias de vida e, nesses casos, está diretamente ligada à figura materna. Mães depressivas também podem levar seus filhos pelo mesmo caminho, pois são vistas como modelos e seus comportamentos são imitados.

No entanto, a síndrome pode surgir mesmo sem essa influência. Os sintomas se confundem com os transtornos bipolares e de ansiedade, com um agravante: a atitude parassuicida, que é quando a criança não se resguarda para evitar lesões, sofrendo acidentes frequentes.

Essa consequência só acontece nos quadros mais graves da doença, mas merece atenção redobrada, segundo a pediatra Miriam Silveira. “Se a criança está em uma rua sozinha, por exemplo, ela pode se jogar na frente de um carro”, adverte.

Gostou do artigo? Então aproveite para compartilhar essas informações com seus amigos nas redes sociais!

 

Deixe um comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here