Transtorno Bipolar de Humor: Duas Faces da Mesma Moeda

Cursos Online na área de Ciências Humanas e Sociais

O Transtorno Bipolar do Humor, antigamente denominado de psicose maníaco-depressiva, é caracterizado por oscilações ou mudanças cíclicas de humor. Estas mudanças vão desde oscilações normais, como nos estados de alegria e tristeza, até mudanças patológicas acentuadas e diferentes do normal, como episódios de MANIA, HIPOMANIA, DEPRESSÃO e MISTOS. É uma doença de grande impacto na vida do paciente, de sua família e sociedade, causando prejuízos freqüentemente irreparáveis em vários setores da vida do indivíduo, como nas finanças, saúde, reputação, além do sofrimento psicológico. É relativamente comum, acometendo aproximadamente 8 a cada 100 indivíduos, manifestando-se igualmente em mulheres e homens.

Pode iniciar na infância, geralmente com sintomas como irritabilidade intensa, impulsividade e aparentes “tempestades afetivas”. Um terço dos indivíduos manifestará a doença na adolescência e quase dois terços, até os 19 anos de idade, com muitos casos de mulheres podendo ter início entre os 45 e 50 anos. Raramente começa acima dos 50 anos, e quando isso acontece, é importante investigar outras causas.

– Transtorno Bipolar Tipo I – Períodos de mania (euforia) com humor elevado e expansivo, grave o suficiente para causar prejuízo no trabalho, relações sociais podendo necessitar de hospitalização contrapostos por períodos de humor deprimido, sentimentos de desvalia, desprazer, desmotivação, alterações do sono, apetite, entre outros. Geralmente, o estado maníaco dura dias ou pelo menos uma semana, e períodos de depressão de semanas à meses.

– Transtorno Bipolar Tipo II – Períodos de hipomania, em que também ocorre estado de humor elevado e agressivo mas de forma mais suave. Um episódio de tipo hipomania, ao contrário da mania, não chega a ser suficientemente grave para causar prejuízo em atividades de trabalho ou vida social.

A Mania (eufórica) é caracterizada por:

• Humor excessivamente animado, exaltado, eufórico, alegria exagerada e duradoura;
• Extrema irritabilidade, impaciência ou “pavio muito curto”;
• Agitação, inquietação física e mental;
• Aumento de energia, da atividade, começando muitas coisas ao mesmo tempo sem conseguir terminá-las
• Otimismo e confiança exageradas;
• Pouca capacidade de julgamento, incapacidade de discernir;
• Crenças irreais sobre as próprias capacidades ou poderes, acreditando possuir muitos dons ou poderes especiais;
• Idéias grandiosas;
• Pensamentos acelerados, fala muito rápida, pulando de uma idéia para outra,tagarelice;
• Facilidade em se distrair, incapacidade de se concentrar;
• Comportamento inadequado, provocador, intrometido, agressivo ou de risco;
• Gastos excessivos;
• Desinibição, aumento do contato social, expansividade;
• Aumento do impulso sexual;
• Agressividade física e/ou verbal;
• Insônia e pouca necessidade de sono;
• Uso de drogas, em especial cocaína, álcool e soníferos.

* Três ou mais sintomas aqui relacionados devem estar presentes por, no mínimo, uma semana;
* A hipomania é um estado de euforia mais leve que não compromete tanto a capacidade de funcionamento do paciente. Geralmente, passa despercebida por ser confundida com estados normais de alegria e devem durar no mínimo dois dias.

A Depressão, que pode ser de intensidade leve, moderada ou grave, é caracterizada por:

• Humor melancólico, depressivo;
• Perda de interesse ou prazer em atividades habitualmente interessantes;
• Sentimentos de tristeza, vazio, ou aparência chorosa/melancólica;
• Inquietação ou irritabilidade;
• Perda ou aumento de apetite/peso, mesmo sem estar de dieta;
• Excesso de sono ou incapacidade de dormir;
• Sentir-se ou estar agitado demais ou excessivamente devagar (lentidão);
• Fadiga ou perda de energia;
• Sentimentos de falta de esperança, culpa excessiva ou pessimismo;
• Dificuldade de concentração, de se lembrar das coisas ou de tomar decisões;
• Pensamentos de morte ou suicídio, planejamento ou tentativas de suicídio;
• Dores ou outros sintomas corporais persistentes, não provocados por doenças ou lesões físicas.
* estes sintomas manifestam-se na maior parte do tempo por, pelo menos, DUAS semanas.

O Estado Misto é caracterizado por:

• Sintomas depressivos e maníacos acentuados acontecendo simultaneamente;
• A pessoa pode sentir-se deprimida pela manhã e progressivamente eufórica com o passar do dia, ou vice-versa;
• Pode ainda apresentar-se agitada, acelerada e ao mesmo tempo queixar-se de angústia, desesperança e idéias de suicídio;
• Os sintomas freqüentemente incluem agitação, insônia e alterações do apetite. Nos casos mais graves, podem haver sintomas psicóticos (alucinações e delírios) e pensamentos suicidas;

* os sintomas devem estar presentes a maior parte dos dias por, no mínimo, uma semana.

Tratamento do Transtorno Bipolar

O tratamento envolve manejo nas fases agudas e na terapia de manutenção. Os quadros agudos demandam contenção imediata dos sintomas através da farmacologia: estabilizadores do humor, antidepressivos (se necessário), antipsicóticos (se necessário) e, muitas vezes internação hospitalar para proteção do paciente. Os episódios de depressão aguda são tratados, preferencialmente, com antidepressivos inibidores da recaptação da serotonina, pois são maiores indutores de “virada” maníaca (eufórica) ou hipomaníaca, mais comuns com as ADT (tricíclicos). As fases maníacas podem ser controladas com Carbonato de Lítio, Ácido Valpróico, Carbamazepina, lomotrigina, gebapentina e topiramato.

Se sintomas psicóticos estiverem presentes, é necessário o uso de antipsicóticos ou benzodiazepínicos. Muitas vezes, é necessária a combinação de drogas, isto é, mais de um estabilizador do humor associado, antidepressivos, mesmo na fase de manutenção. Existem substâncias que propiciam a desestabilização do quadro do humor e que devem ser identificados (tricíclicos, esteróides, álcool e os estimulantes).

Psicoterapia

Sabe-se que a terapia cognitiva pode contribuir na adesão do tratamento e na prevenção das recaídas, tornando-se um valioso acessório para o tratamento farmacológico. O Transtorno Bipolar não se limita meramente a um problema bioquímico mas, também, psicológico e social (envolve dificuldades pessoais, familiares e sociais). Existem outros tipos de psicoterapias como individual, grupal, de família, conjugal, entre outros, mas, o que importa é se está surtindo resultado na melhora do paciente e na sua qualidade de vida.

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.

Deixe um comentário

Por favor, escreva seu comentário
Digite seu nome aqui