“As verdadeiras diferenças no mundo de hoje não são entre judeus e árabes; protestantes e católicos; muçulmanos, croatas e sérvios. As verdadeiras diferenças se encontram entre os que abraçam a paz e os que a querem destruir; entre os que olham para o futuro e os que se agarram ao passado, entre os que abrem os braços e os que fecham os punhos”. Bill Clinton (Ex-presidente dos EUA)

“Em nosso país a vulgaridade é um título, a mediocridade um brasão”. (Machado de Assis – Escritor Brasileiro

“Não existem países subdesenvolvidos. Existem países subadministrados” (Peter Drucker – “Pai da administração moderna”)

As frases acima são apenas pontos de partida para uma reflexão critica e cruel de como o nosso País está sendo tratado há décadas. A vulgaridade, a corrupção, os amantes do retrocesso, a gestão pública engessada, a falta de visão futurista dos parlamentares e os punhos fechados para o desenvolvimento estrangulam a Nação e seus milhares de habitantes.

É evidente que hoje o País está ainda mergulhado em uma crise vergonhosa, principalmente no que diz respeito ao aspecto econômico e moral.  As raízes dos problemas são mais profundas do que podemos imaginar e muitas vezes não há perspectiva de resolução ou interesse para sanar ou amenizar essa “indústria de problemas”. Abaixo uma breve descrição dos principais fatores preocupantes que atingem a nação brasileira atualmente:

Economia:

Após um grande “choque” na economia, o País atravessou uma série desastres e perda de competitividade em âmbito internacional. Hoje, a recuperação é tão lenta e quase imperceptível devido à falta de medidas para o retorno da produção, consumo e contratações para atender a demanda interna e externa.

A carga de impostos é avassaladora e com isso dificulta a estabilidade e o crescimento como um todo, gerando assim uma sensação de insegurança no aspecto econômico-financeiro. O país necessita de reformas urgentes da previdência, tributária e a criação de medidas que impulsionem e favoreçam o crescimento nos principais setores geradores de empregos e renda. Investir no Brasil tornou-se um ponto de interrogação na visão internacional.

Educação:

Esse tema é o principal e o que menos notamos medidas e projetos em nível federal. A chave para o desenvolvimento de qualquer nação se resume numa educação de qualidade e atualizada constantemente para acompanhar a evolução do mundo. Não é por acaso que os países que estão no ranking mundial como os “Tops” nesse aspecto são os melhores em qualidade de vida e oportunidades, principalmente para jovens e pessoas de meia idade.

Os modelos de educação da Alemanha, Coréia do Sul, Finlândia, Canadá e Noruega são belos exemplos de resultados concretos do poder de transformação que a educação exerce em todas as outras áreas direta ou indiretamente.  No Brasil, os investimentos e a atenção para a área de educação são muito baixos, o que gera um verdadeiro caos e afeta no agravamento de outros fatores.

Algumas medidas necessárias hoje são: melhorias nas estruturas de escolas e creches, valorização dos professores através de cursos, planos de carreira e remuneração compatível com a função, reestruturação das grades e matérias desde o ensino básico ao médio visando aumentar a capacidade dos alunos para enfrentarem uma Universidade posteriormente com melhores chances de aprovação e competitividade. Quando o Brasil produzirá tecnologias, inovação e conhecimentos científicos de alto nível? Será sempre refém do Vale do Silício?

Política:

A estrutura política nacional é o tema hoje de maior repercussão devido aos inúmeros casos de corrupção, lavagem de dinheiro e formação de quadrilhas envolvendo políticos em sua maioria. A classe política não transmite credibilidade e como consequência não tem respeito alguma da população. Aqueles que deveriam ser os representantes do povo em uma democracia verdadeira agem como oportunistas diante das causas relevantes e que envolvem muito dinheiro.

O “jogo medíocre” entre políticos e partidos que presenciamos diariamente afeta principalmente afeta a massa da população que paga um alto preço pelas mazelas e conchavos que se desenrolam na cúpula dos Poderes Executivo e Legislativo principalmente. Notamos a falta de interesse em atender os anseios da população e um interesse insaciável em favorecer o próprio bolso e de parceiros políticos e ao mesmo tempo atuam como amigos no mundo do crime.

Um país onde um número descontrolado de pessoas no poder público estão sendo investigadas, presas e julgadas mostra claramente a que ponto chegamos e o abismo em que estamos inseridos nos últimos anos. A grande reforma política que necessita ser feita será através da população mudando as opções de voto e criando um senso critico e analítico diante das propostas apresentadas em épocas passageiras de campanhas.

O cidadão comum deve acompanhar constantemente o que acontece dentro das Instituições políticas para ter clareza e entendimento do que é apresentado tanto na Mídia quanto em redes sociais e outros veículos que podem informar ou desinformar ao mesmo tempo, gerando assim mais confusão quanto a questões vitais para a população.

Segurança pública:

Em todas as pesquisas que são feitas a segurança é sempre um dos fatores que aparecem como de maior atenção e preocupação da população brasileira. Quando se fala em Segurança pública isso envolve as áreas urbanas, rurais, trânsito, transporte, fronteiras e dolorosos efeitos colaterais.  O número de homicídios, roubos, furtos, estupros e latrocínios têm evoluído em proporções fora do comum, afetando assim a população com a sensação de estar à própria sorte diante de criminosos.

A impunidade é nítida e vemos o que ocorre em consequência disso. Os presídios estão superlotados e as facções criminosas superam em muito o efetivo de polícias em suas mais diversas esferas. O tráfico de drogas se apresenta como elemento marcante diante da falência na segurança nacional. As fronteiras estão praticamente à deriva para a entrada de drogas dos mais variados tipos que geram consequências inimagináveis na segurança e saúde pública.

Algumas medidas viáveis são: aumento no efetivo e qualificação de todas as polícias, melhorias em iluminação, medidas socioeducativas em bairros, melhorias em comunicação da população com as instituições de segurança pública, reforma do Código Penal e outras leis importantes no âmbito jurídico, projetos para envolvimento principalmente de crianças e jovens que hoje estão a mercê e com o tempo se tornarão subordinados a traficantes e pessoas de má índole, repressão constante ao trafico de armas e drogas, patrulhamento e abordagens em fronteiras entre países e estados por onde ocorrem as rotas de distribuição, construção de presídios de segurança máxima visando separar facções e impedir a comunicação que ocorre entre os mesmos, aprimoramento  de setores de inteligência das polícias civis e federais principalmente, visando o sucesso nas investigações e apreensões com maior efetividade.

Saúde:

É notável que a saúde pública vive um caos devido à má aplicação do dinheiro público e a falta de atenção e distribuição de valores nas diferentes áreas que envolvem esse setor que é um direito de todos segundo a Constituição Federal. O SUS (Sistema Único de Saúde) encontra-se abalado diante das demandas por atendimentos, cirurgias e tratamentos que muitas vezes têm filas longas de espera sem perspectiva de solução.

Os planos de saúde privados estão ganhando cada vez mais clientes devido à ausência de suporte e agilidade do setor público nesse quesito. Isso se torna muito grave, pois quando se fala em vida é algo de extrema urgência e que cada minuto perdido pode ser fatal. A gestão dos recursos, as questões de saneamento básico e o uso racional do meio ambiente são os principais pontos a serem resolvidos visando atenuar os problemas opressivos dessa área.

Infraestrutura:

Os principais elementos que compõem a infraestrutura de um lugar são: a geração de energia, o sistema de transporte, as telecomunicações e outros serviços considerados fundamentais, tais como o saneamento, presença de instituições educacionais e de saúde, entre outros.

Nesse contexto, a infraestrutura também se relaciona com questões logísticas que servem para o desenvolvimento do país, dos quais os transportes, as comunicações e as fontes de energia são os fatores primordiais. Afinal, se um país não possui fornecimento de energia que garanta a não existência de “apagões”, se não possui uma rede articulada de transportes que permita o rápido e barato escoamento da produção e do comércio e, também, se não há um sistema integrado de comunicações, os investimentos diminuem e não é possível pensar em desenvolvimento econômico e também social.

Com isso, cai a produção, cai o consumo, cai a geração de empregos e a economia enfraquece. No Brasil, esses elementos são considerados como verdadeiros “gargalos” para o crescimento do país, principalmente os transportes e a geração de energia.

Os problemas que o País enfrenta vão muito além desses citados, mas de momento esses tópicos são os de maior relevância para desenvolver o senso critico e análise por parte de cada um que realmente se preocupe com essa nação.

Se não fizermos a lição de casa como cidadãos e os “poderosos” não se mobilizarem para minimizar essas questões críticas seremos sempre um País subdesenvolvido e uma Nação eternamente fragilizada perante o mundo.

 

Referencias

Compartilhar
Douglas Henrique Reginato
Graduado em Administraçao de Empresas (Uenp) . Pós graduado em Gestão Estratégica de Pessoas (Unopar - PR). MBA em Marketing Estratégico voltado a lucratividade (Unifil Londrina). Gosto de musica clássica e leio livros e revistas dos mais variados temas. Procuro ampliar minha visão de mundo e contribuir de alguma forma com a sociedade. Sou um eterno estudante.

Deixe um comentário

Please enter your comment!
Insira seu nome aqui