Que os robôs já estão entre nós essa não é nenhuma novidade. Agora, você conhece e sabe o que é um robô sexual? O conceito da “robofilia” já vem sendo discutido há algum tempo. A existência dos robôs sexuais está mais próxima do que se imagina e especialistas já debatem sobre a influência que essas máquinas podem ter no cotidiano das pessoas.

Diferentemente do que se especula, um robô sexual não é apenas uma boneca com um microchip. Acredita-se, em um futuro próximo, que essas máquinas poderão aprender com algoritmos, corresponder às emoções humanas de seu parceiro e ainda realizar outras atividades, como cozinhar.

Acredita-se que sexo com robôs sexuais vai se tornar prática comum até 2025, ultrapassando mesmo sexo entre humanos, segundo o futurologista Ian Pearson. O relatório dele sobre o futuro do sexo foi publicado em parceria com Bondara, uma das maiores lojas de brinquedos sexuais do Reino Unido.

Em 2030 o sexo virtual vai se tornar tão casual como navegar por sites pornográficos e, em 2035, muitos terão brinquedos que interagem com a realidade virtual, de acordo com o relatório. Na verdade, grupos de alta renda poderiam começar a usar algumas formas de sexo com robô já em 2025, antes da prática ultrapassar o sexo entre seres humanos totalmente em 2050.

“Inicialmente, as pessoas vão achar que é difícil se adaptar a essa nova atividade sexual, mas acabarão por se acostumarem com isso, assim como eles abraçaram pornografia”, diz Pearson. “Quando a aparência de robôs melhorar, a opinião das pessoas também vai mudar”, acrescentou.

“Muitas pessoas ainda têm ressalvas sobre sexo com robôs, mas gradualmente, à medida que se acostumarem a eles, como com o comportamento de inteligência artificial e mecânica, além da melhora de sensação, eles podem começar a se tornar amigos com laços emocionais fortes. E a tendência é que algumas pessoas abracem o robô sexual, livre de relacionamento, assim que eles podem pagar um, já em 2025. E ele não terá muita chance de ultrapassar o sexo com os seres humanos, em geral, até 2050 “, explicou Pearson.

Enquanto alguns especialistas acreditam que logo mais as pessoas vão suprir suas carências afetivas e sexuais com robôs, algumas empresas já estão um passo à frente.

As companhias norte-americanas True CompanioneReal Doll criaram robôs que fazem sexo e ainda têm reações quando são tocados. Os modelos fazem pequenos movimentos e conversam com o parceiro. De acordo com o lugar onde são tocados, soltam frases como “estou tão excitada” ou “faz mais forte”.

Especialistas ainda se questionam sobre aspectos morais e éticos de máquinas desempenharem atividades sexuais

O especialista Shen se mostra preocupado, principalmente, sobre como esses robôs poderão, assim como nós, fazer múltiplas tarefas em contextos sexuais e não-sexuais. “Como controlamos um robô que pode alternar do modo “brincar com crianças” durante o dia para “brincar com os adultos” durante a noite?”

E as dúvidas não param por aí. “Quais os limites éticos e morais, por exemplo, se um homem usar um robô sexuail infantil? E os robôs poderão, no futuro, substituir os humanos nos relacionamentos afetivos?”, questiona ele.

Apesar dos questionamentos de Shen, a polêmica dos robôs sexuais não é de hoje. Em 2016, uma francesa conhecida pelo nome de Lilly demonstrou seu amor às máquinas publicamente: “Eu me atraio unicamente por robôs”, disse ela para o portal News. Lilly, que estava em um relacionamento com um robô que ela mesma produziu, explicou as razões que a levaram a ter esse tipo de relacionamento: “ Os relacionamentos que tive com homens confirmaram minha orientação sexual, já que eu não gosto de contato físico com a carne humana”, disse.

Japoneses trocam mulheres reais por robôs

No Japão a pratica de sexo com “bonecas”, é algo que já ocorre a muito tempo. As vendas de robôs no Japão têm aumentado em mais de 600%, depois que o avanço tecnológico permitiu a criação de robôs idênticos as mulheres de verdade, e que fazem tudo que elas, inclusive sexo e serviços domésticos, além de não reclamarem nem sentirem ciúmes. A robô também possui botão para ser desligada a qualquer momento.

O Japão também já começou a exporta as “mulheres robôs” para outros países. Os brasileiros são os mais interessados em comprar o produto. “Estive no Japão e testei a robô, ela é muito eficiente na cama, nos serviços de casa, e cozinha muito bem”, disse um brasileiro.

E você o que acha dessa pratica? acha que os robôs vão substituir o contato humano ?

Compartilhar
Avatar
Psicólogo. Idealizador do Pensamento Líquido. Apaixonado por filmes de terror, seriados, animes, mangás e livros de aventura. Não dispensa uma boa comida e bebida na companhia de amigos, especialmente se for pra curtir um bom e velho rock n roll.

Deixe um comentário

Please enter your comment!
Insira seu nome aqui